O Paraná encerrou setembro com a maior geração de empregos desde 2014, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Foram abertos 9,4 mil novos postos de trabalho no mês - 54,9 mil no acumulado do ano.

O cálculo do Caged é feito com base na diferença entre contratações e desligamentos de trabalhadores com carteira assinada. Os números foram divulgados na tarde de segunda-feira (22).

No mês, os setores com maior criação de empregos formais no Paraná foram Serviços (4,7 mil), Comércio (2,1 mil) e Indústria (1,2 mil).

No ano, Serviços e Indústria estão à frente, com 36 mil e 10,8 mil empregos gerados, respectivamente, seguidos pela Construção Civil, com 4,9 mil empregos formais criados em nove meses.

Os municípios paranaenses com maior saldo de empregos entre janeiro e setembro são:

 

  • Curitiba: 14.420 empregos;
  • São José dos Pinhais: 3.361 empregos;
  • Maringá: 3.005 empregos;
  • Cascavel: 2.876 empregos;
  • Foz do Iguaçu: 2.146 empregos.

 

Os piores saldos no estado foram todos negativos, ou seja, com mais demissões do que contratações nos primeiros nove meses do ano. Veja abaixo:

 

  • Guaratuba: -768 empregos;
  • Francisco Beltrão: -621 empregos;
  • Umuarama: -469 empregos;
  • Londrina: -247 empregos;
  • Campo Largo: -182 empregos.

 

Entre as unidades da federação, o Paraná é o terceiro que mais gerou empregos formais entre janeiro e setembro - atrás de São Paulo (220 mil), e Minas Gerais (114,6 mil).