As principais falhas no antendimento à saúde básica nos municípios do Paraná estão no planejamento estratégico e na organização dos processos de trabalho, conforme um relatório de auditoria divulgado nesta terça-feira (10) pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR).

As equipes do órgão encontraram, por exemplo, estabelecimentos de saúde que fecham no horário de almoço ou que encerram atividades antes do horário comercial. "Essa prática dificulta o acesso da população que trabalha", diz trecho do documento.

A fiscalização, ocorrida entre março e dezembro de 2017, também identificou a falta de compartilhamento de agendas dos profissionais, falta de reserva de tempo para atendimento à demanda espontânea e ausência de coleta de exames laboratoriais simples nas unidades.

Há, ainda, de acordo com o TCE-PR, unidades que não fazem o agendamento de consultas, obrigando os usuários a chegar muito cedo para obter uma senha. A fiscalização diz ter encontrado problemas com falta de profissionais, mas isso não foi considerado entre as principais falhas.

Do ponto de vista estrutural, também foram constatadas algumas unidades que não dispunham de estrutura mínima, como consultórios com sanitário. Em outras, curativos eram realizados nos mesmos locais em que são feitos pequenos procedimentos, como sutura e retirada de verrugas.

Outro dado que sugere falta de planejamento dos gestores municipais é o fato de haver duas unidades muito próximas em determinado local, enquanto amplas áreas do município não têm nenhuma unidade.